Book Tour - Resenha: Eram Olhos Enfeitados de Sol - Dênisson Padilha Filho

dezembro 06, 2017


Autor: Dênisson Padilha Filho| Editora: Penalux| Páginas: 91| Ano: 2017


Sinopse: Texto enxuto e ao mesmo tempo recheado de poesia, esta narrativa veloz e fatalista arrebata a atenção do leitor por meio de um fluxo de consciência que conta a história de um homem de volta à sua pequena cidade natal. O personagem deve assumir a herança de uma madeireira em falência. A certa altura a trama assume ritmo de thriller, pois tudo se transforma para o protagonista. Nesse exercício, o narrador convoca o leitor não só à diversão com a história, mas à inquietação de visitar, cada um, suas próprias feridas.

Resenha: “Não posso falar nem andar, respiro ofegante, estou cheio de fios no nariz, mas desde que Veja apareceu pulando no calçamento e virou aquela esquina estou salvo. Estou salvo do desdém sanguinário que me assolava, estou salvo. É verdade que há um monte de coisa que eu gostaria de ter feito com ela, voar rasante de mãos dadas, dormir nas estrelas, mastigar orvalhos e assobiar tempestades enquanto o mundo agoniza entre uma guerra e outra e os homens esmagam sorrisos debaixo de cofres pesados. Estou salvo por isso, porque voltei a sonhar, e sonhar é romper com a desvalença; e isso quem trouxe foi Veja quando cambaleou sua insanidade apaixonante na minha frente. Fazem ideia do salto que dei? Vivi praguejando, cobrando flores por minuto e agora detenho os mistérios no apagar das luzes”.

Em Eram Olhos Enfeitados de Sol, o autor Dênisson retrata a fuga da realidade, dos problemas e uma busca da solução em uma confusão com o delírio, fazendo com que muitas vezes uma pequena confusão esteja presente por não saber quando esta sendo narrado algo real ou criado pela mente conturbada do personagem – que é o próprio narrador. O livro divide-se em três capítulos que nos tira o fôlego ao acompanhar o pensamento do personagem no decorrer da trama. Sem muita distinção dos personagens, tais como nomes e características, somos levados por nossa própria imaginação. O primeiro capitulo nos apresenta a vida sem graça do personagem onde apesar de um pouco estranho, aparenta levar uma vida normal. Mas se engana quem pensa que Dênisson deixa o personagem sobreviver assim, pois no segundo capitulo somos arrastados por uma enxurrada de violência e realidade e o pensamento delirante – se assim posso chamar – de nosso personagem esta cada vez mais em seu ápice. É no terceiro capitulo que todo desfecho da trama se desenrola e em momento algum imaginei o que aconteceria, em momento algum, o personagem me fez pensar nesse desfecho com seus pensamentos.

“Sabem de uma coisa? Meu medo agora é retornar à cegueira. Senhor permita que eu siga enxergando assim. Sei que mais cedo ou mais tarde eles vão suspender as drogas, pra ver se reajo ou porque desistiram, não importa, é sempre assim...”.

O livro apresenta claramente pontos em como o personagem consegue viver entre a loucura e a realidade, durante toda trama conseguimos viajar na mente conturbada do mesmo, e em muitos parágrafos ficamos apenas com a nossa imaginação fértil rolando. Imaginando o que poderia ter acontecido ou estar acontecendo. É uma ficção que nos tira de nossa zona de conforto por ser algo que não estamos acostumados a ler. Em certos pontos do livro eu me senti o próprio personagem, em cada página uma surpresa muito grande sempre esta a espera.


Dênisson nos apresenta a uma trama que deve ser lida com muita atenção, e repensada. Há diferentes formas de vista de encarar essa leitura, quando acreditei estar seguindo por um caminho, mudei meu rumo como uma onda quando retorna ao mar. Com esse livro vivi uma grande adrenalina, e um ponto diferente de encarar a minha própria mente. Recomendo muito leitura, ela é muito fluida e rápida. A Editora Penalux fez um trabalho magnífico com a diagramação do livro, que acompanham certamente o enredo do livro. 

Você pode se interessar também

0 comentários

Siga me os bons!

Me Segue aqui também

@resenhasecafe