Memórias de um sargento de milicias

junho 11, 2017




Autora: Manuel Antonio de Almeida| Editora: Jose Olympio| Gênero: Romance| 
Páginas: 197| Ano: 1852

O livro de Manuel Antonio de Almeida relata a vida de Leonardo, um rapaz que foi abandonado pelos pais, criado por um barbeiro.

Traído pela vida e por pessoas que amava, Leonardo vive uma emocionante história na vida militar. 


Maria estava no mesmo navio de Leonardo, viajavam de Lisboa ao Rio de Janeiro, e se apaixonaram perdidamente, depois casaram e tiveram um filho, também chamado de Leonardo.

Com o passar do tempo, Maria começou a trair Leonardo, e quando ele descobriu bateu ela, e ela acabou fugindo para Lisboa com seu amante, o capitão de um navio.

Leonardo foi embora, abandonando o filho. Leonardo (filho) ficou então aos cuidados do padrinho, um barbeiro, que ama muito o menino. A madrinha de Leonardo também apareceu e lhe visitava sempre.

O barbeiro queria que Leonardo fosse padre, por isso, ensinou – o a ler e escrever, e depois o mandou para a escola. Todo santo dia Leonardo apanhava na escola – de seu professor.

Quando passou a ir sozinho para escola, faltava as aulas e ia para a igreja com Thomás para fazer bagunça. Imaginando a facilidade que teria em aprontar se viesse a ser coroinha como o amigo.

Então pediu ao padrinho para que o preparasse para ser um e o padrinho aceitou facilmente e alegremente o interesse que o menino demonstrava pela igreja.

Mas logo Leonardo foi expulso por tanto aprontar. Logo, ele levava uma vida de vagabundo. Ele e seu padrinho passaram a frequentar a casa de D. Maria, que tinha uma sobrinha chamada Luisinha. 

Leonardo apaixonou-se por ela. Em meio a suas intenções, apareceu outro pretendente a moça, seu rival, José Manuel, sua madrinha tomou parte e inventou uma mentira para que o rival de seu afilhado perdesse a estima que tinha.

Logo o padrinho morreu e Leonardo foi viver com seu pai, que depois de lutar muito por uma cigana, acabou casando com a filha da comadre. Ele não se dava muito bem com a madrasta, então um dia após visitar D. Maria e não ver Luisinha se envolveu de novo em uma briga com a madrasta, seu pai tomou parte e o ameaçou com uma espada e Leonardo fugiu.

Depois de muito, muito andar, encontrou-se com Tomás e mais uns amigos, dentre eles Vidinha, que lhe despertou uma nova paixão.

Foi viver na casa deles, onde viviam duas senhoras irmãs: uma era mãe de três moças e outra, mãe de três rapazes. Uma das moças era noiva de Tomás e Vidinha era a paixão de dois dos rapazes. Como essa se mostrava mais interessada em Leonardo, os dois primos armaram contra ele.

A armação levou-o preso pelo major Vidigal, homem muito temido. Mas antes que chegasse à cadeia, o rapaz fugiu. Com o objetivo de evitar motivos para uma nova prisão, a madrinha de Leonardo lhe arrumou um emprego na casa-real, mas o rapaz logo foi despedido por ter se aproximado da mulher de um dos homens do poder da casa.

Ao saber de tal acontecimento, Vidinha foi tomar satisfações. Leonardo saiu atrás dela para impedir, quando chegaram à porta da casa, na indecisão de entrar ou não, ele acabou sendo levado por Vidigal que o esperava por lá.

Nesses tempos a mentira da madrinha tinha vindo à tona e José Manuel foi redimido e ganhou a mão de Luisinha em casamento, logo depois mostrou o mau-caráter que tinha. Leonardo foi feito granadeiro do major Vidigal.

Vidinha e sua família buscaram muito por ele e, sem encontrar, passaram a odiá-lo por cometer a desfeita de abandonar sem explicação quem o acolhera. Em uma noite, Vidigal, armando a prisão de Teotônio, mandou Leonardo até a casa do pai, que estava dando a festa de batizado da filha de tal e Teotônio animava a festa. Leonardo ficaria no batizado para facilitar a captura, Vidigal e seus homens esperavam na porta.

No entanto, Leonardo se sentiu um traidor e armou com Teotônio sua fuga sem que se comprometesse. O plano deu certo, mas de tão alegre que ficou acabou por se denunciar. Vidigal então o prendeu.

Ao saber de tal coisa sua madrinha foi rogar por ele ao major, sem resultado; após uma forte reconciliação com D. Maria, foi as duas pedir a libertação do rapaz, mas não conseguiram. As duas senhoras foram atrás da ajuda de Maria-Regalada, a primeira paixão de Vidigal.

Ela ajudou e as três foram implorar pela libertação de Leonardo. Depois de muito tentar e nada conseguir, Maria-Regalada falou em particular com Vidigal, disse que se libertasse o rapaz iria viver com ele, como ele já lhe pedira muitas vezes.

Com tal proposta, o major cedeu e ainda prometeu uma surpresa. Durante tais acontecimentos Luisinha ficou viúva e no dia do enterro de José Manuel, Leonardo apareceu e  foi feito sargento. Passou a frequentar novamente a casa de D. Maria, e seus interesses por Luisinha renasceram e os dela também. A madrinha e D. Maria estavam mais do que de acordo com o casamento deles.

O que impedia era o posto de sargento, que não permitia o casamento. Pediram então novamente a ajuda de Vidigal, que nesses tempos já vivia com Maria-Regalada.

O homem cedeu com gosto e fez de Leonardo sargento de milícias, ofício que permitia o casamento. Dado a essas circunstâncias, casou-se com Luisinha. Depois de tais acontecimentos, Leonardo pai e D. Maria faleceram.

Você pode se interessar também

0 comentários

Siga me os bons!

Me Segue aqui também

@resenhasecafe