A garota no trem

maio 18, 2017



Título: A garota no trem          
Autor: Paula Hawkins
Editora: Record
Páginas: 378
Ano: 2015
Gênero: Thriller psicológico











Minha gente, só tenho uma coisa a declarar, to viciada em thriller psicológico, juro que esse é o último dessa semana! Só mais uma coisa, prepara o coração, lá vem bala!

O livro é narrado em primeira pessoa e para começar nossa trama, apresento vocês nossa personagem principal – Rachel. Uma pessoa que por falta de palavras, podemos chama – la de perdida na vida!

A garota é alcoólatra, desempregada e mora no quarto de uma amiga que por caridade a recebeu em sua casa depois que Rachel terminou seu relacionamento com o ex – marido Tom.

Rachel sai de casa todos os dias e finge que vai trabalhar todos os dias, pois ainda não teve coragem de contar a amiga que foi despedida depois de ter aparecido bêbada no trabalho e feito um escândalo por motivos bobos.

Ela sai de casa e pega o mesmo trem todos os dias e vai pra cidade para fazer coisa nenhuma, as vezes ela se embriaga, outras vezes vai ate a biblioteca (apesar de nunca ler nadica), outras vezes ela bebe mais ainda.  

Enquanto ela esta no trem, Rachel gosta de acompanhar a vida de um casal que mora em uma das casas no caminho.

De uma maneira doida, ela cria vida para as pessoas e fica triste ou chateada quando não consegue vê-los. Para ela, a vida do casal é perfeita. E ela passa seu tempo refletindo sobre a vida alheia. #Coitada.

“Sou capaz de imaginar o toque das mãos dele, o peso delas, tranquilizadoras, protetoras. Às vezes, me pego tentando me lembrar da última vez que tive contato físico de verdade com alguém, um abraço, um aperto de mão que seja, e sinto uma dor no coração.”

Porém, o casal que ela tanto admira, não tem uma vida perfeita. Claro que, um dos pontos de vista da história é Megan (realidades) para Rachel é Jesse – que Rachel imagina ser maravilhosamente perfeita, mas ela esta longe disso.

Megan e Scott têm um relacionamento nada fácil.  À medida que a história progride nós aprendemos mais sobre Megan (o livro é todo narrado pelas mulheres da história) e como ela está entediada com a vida que vive, com o relacionamento com Scott e as perspectivas. 
Megan esconde um segredo que a está corroendo dia a dia ainda que ela não perceba.
Outro ponto de vista é o de Anna – a mulher com quem o ex-marido de Rachel a traiu e por quem ele a deixou. Anna e Tom moram na casa em que Rachel morava – perto de Scott e Megan (porém, eles ainda não haviam mudado para lá quando Rachel morava ali com Tom).

Anna e Rachel dividem uma ligação direta, por Rachel não conseguir deixar Tom em paz e continuar ligando e o procurando. Tom, de certa forma, parece alimentar essa obsessão e mais tarde vamos perceber que a coisa toda é muito mais confusa. (Ana, a ex-amante e atual esposa do ex-marido de Rachel. Ana é a típica mulher que se acha fantástica porque, pois, ela é a amante que foi promovida a esposa, ela realmente se orgulha disso. Mas, essa autoconfiança falha miseravelmente todas as vezes que Rachel está por perto, Rachel é a louca que quer destruir seu casamento feliz e construído sobre bases tão sólidas).

A notícia do desaparecimento de Megan é que vai interligar a vida dessas três mulheres de maneira muito mais profunda.

Quando Rachel fica sabendo do desaparecimento de Megan, ela resolve se envolver na investigação, tanto por acreditar que tem informações importantes para ajudar a desvendar o caso, uma vez que viu, pelo trem, uma cena bastante suspeita, quanto por ser motivada por um desejo interior que nem ela própria consegue compreender.

Quando começa a narração por Megan (um ano antes do seu desaparecimento) desconfiamos que a personagem tem problemas psicológicos, porém com o tempo descobrimos que ela carrega um trauma profundo em sua vida – que não justifica nadinha o jeito dela de lidar com tudo e todos.  

Depois de todas as reviravoltas do livro e da grande “revelação” (que no fim, não achei uma grande revelação), Rachel reage minha gente!!!!  No final do livro, confesso que fiquei feliz, pois apesar de grandes traumas, ela  esta se esforçando muito, quem sabe agora ela não consegue se manter sóbria e superar seus traumas não é? 

Você pode se interessar também

1 comentários

  1. Eu adorei esse livro!!!
    A Rachel é o tipo de personagem que dá uma vontade de dar umas sacudidas pra acordar pra vida, mas que bom que ela conseguiu acordar!! Confesso que o final chegou a me surpreender e até gostei dele!! Também amo Thrillers Psicológicos.
    Parabéns pela resenha!!

    Beijos.

    http://garotasdevorandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Siga me os bons!

Me Segue aqui também

@resenhasecafe